Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Loading
Arquidiocese Ortodoxa de Buenos Aires e Exarcado da América do Sul
 
 
 

Igreja Ortodoxa Grega de Ayá Tsambica (Igreja dos Gregos) de Lins-SP é tombada pelo patrimônio histórico

 

Abaixo, um resumo da cobertura dada pelo ECCLESIA, desde o final do mês julho de 2005, ao movimento que culminou com o tombadamento pelo patrimônio histórico da Igreja Grega da Virgem Ayá Tsambica de Lins - SP (igreja dos gregos) em 19 Junho 2007.

19 Junho 2007: Igreja grega Ayá Tsambica de Lins-SP (igreja dos gregos) é tombada pelo patrimônio histórico

Esta terça-feira, 19 de junho, será uma data histórica para o município de Lins. Afinal, será realizado o primeiro Tombamento da história da cidade. A cerimônia será realizada às 16h e 30min, no Templo Ortodoxo Grego “Ayá Tsambica”, conhecido como “Igreja dos Gregos”, localizado na Rua Regente Feijó, 980.

O prefeito Waldemar Sândoli Casadei decidiu realizar o Tombamento da igreja em 2005, quando alunos do Instituto Americano de Lins foram premiados em concurso nacional denominado "Tesouros do Brasil", patrocinado pela Fiat Automóveis com apoio da Unesco, Ministério da Cultura, Ministério da Educação e do Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A cerimônia de premiação ocorreu na própria igreja, em 10 de junho de 2005.

«Vista do interior da igreja»

Para que o Tombamento se tornasse realidade, foi preciso fundar em Lins o COMDEPHAC (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental), o que ocorreu através de Decreto assinado por Casadei em 5 de maio de 2006. Esse conselho é formado por 11 membros, representantes da Diretoria Municipal de Apoio Técnico, Diretoria Municipal de Cultura, Diretoria Municipal dos Negócios do Turismo, Câmara Municipal, Procuradoria Geral do Município, Sociedade Civil, OAB, Universidades locais, docente do curso de História e Conselho de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

O Conselho realiza reuniões a cada 15 dias desde sua fundação e, após tomar todas as providências necessárias, finalmente conseguiu tornar realidade o Tombamento da «Igreja dos Gregos».

O Tombamento

Tombamento significa um conjunto de ações realizadas pelo poder público com o objetivo de preservar, através da aplicação de legislação específica, bens de valor histórico, cultural, arquitetônico, ambiental e também de valor afetivo para a população, impedindo que venham a ser destruídos ou descaracterizados.

Um pouco da história da Igreja

«Vista do Interior da Igreja»

A igreja foi erguida graças ao empenho de Stefano Vassiliadis, que desembarcou no Brasil em 1951, vindo da cidadezinha de Arcanjelo, na ilha de Rodes, na Grécia. Terceira geração de imigrantes gregos que se estabeleceram em Lins, Stefano prometeu reverter o dinheiro ganho em colheitas de arroz na construção de uma Igreja em honra à padroeira de sua terra natal, Tsambica, que ele acreditava ter intercedido milagrosamente no sucesso da empreitada. Esta santa era muito venerada por sua mãe na Grécia, o que a fez recusar o convite de imigrar para o Brasil com o filho, já que em nosso país não havia igrejas ortodoxas que permitissem sua religiosidade.

Stefano iniciou as obras em 1957 e no dia 7 de Setembro de 1958, fez a inauguração com grande pompa. Desta vez, um novo convite para imigrar foi aceito por sua mãe.

Stefano nasceu em 23 de fevereiro de1923, na Ilha de Rodhes filho de Cryssanti Zarvos Vassiliadis e Eleutério Vassiliadis. Chegou ao Brasil no dia 2 de abril de 1951, instalando-se em Lins. Pouco a pouco trouxe a família: mãe, esposa e filhos. Faleceu em 6 de março de 1997, em San Ignácio, um vilarejo do Paraguai.

Ícone de «Cristo Pantokrátor» no interior da cúpula central
(interior da Igreja)

Finalmente, uma ONG que luta pela restauração e preservação da igreja ortodoxa grega Nossa Senhora Ayá Tsambica da cidade de Lins - SP

Lins é uma cidade relativamente jovem e ainda não ostenta construções seculares que podem atrair turistas e visitantes. Abriga, entretanto, lugares que, por suas características especiais, são dignos de serem conhecidos e visitados. É o caso do Templo Ortodoxo Grego Aya Tsambica, uma amostra da cultura bizantina oriunda do Império Oriental. Época em que floresceu um estilo de pintura e um tipo de arquitetura presentes em todos os detalhes na Igreja, desde sua abóbada arredondada, passando pela pintura com predominância do dourado, até a ausência das imagens.

«Fio invisível e sagrado une Lins a Rodhes»

O Templo não foi tombado, como nada ainda na cidade. A igreja foi erguida graças ao empenho de Stefano Vassiliadis, que desembarcou no Brasil em 1951, vindo da cidadezinha de Arcanjelo, na ilha de Rodes, na Grécia. Terceira geração de imigrantes gregos que se estabeleceram em Lins, Stefano prometeu reverter o dinheiro ganho em colheitas de arroz na construção de uma Igreja em honra à padroeira de sua terra natal, Tsambica, que ele acreditava ter intercedido milagrosamente no sucesso da empreitada. Esta santa era muito venerada por sua mãe na Grécia, o que a fez recusar o convite de imigrar para o Brasil com o filho, já que em nosso país não havia igrejas ortodoxas que permitissem sua religiosidade.

Stefano iniciou as obras em 1957 e no dia 7 de Setembro de 1958, fez a inauguração com grande pompa. Desta vez, um novo convite para imigrar foi aceito por sua mãe. Enquanto houve algum grego na cidade, a igreja foi bem cuidada. Com a dispersão da família, o bem se encontra abandonado e em processo de deterioração. 

«Fio invisível e sagrado une Lins a Rodhes»

«Fio invisível e sagrado une Lins a Rodhes»

Há uma igrejinha em Lins, no interior de São Paulo, que é réplica da Igreja de Ayá Tsambica na Ilha de Rhodes. Ela começou a ser construída em 1957, e foi inaugurada em 8 de setembro de 1958. Nesse dia, Stefano E. Vassiliadis, um imigrante grego de Arcangelos, cumpria a promessa realizada à sua mãe e à Ayá Tsambica de construir o templo ortodoxo grego. A safra de arroz estava salva e era uma das melhores colheitas dos últimos anos. Quanto a sua mãe, finalmente poderia rezar à sua santa de devoção, aqui no Brasil. A Ayá Tsambica protege os órfãos, viúvas, sofredores e desamparados. Por ter sido descoberta através de uma faísca, que em grego é tsaba, a Virgem Maria recebeu o nome de Tsambica. (*)

Stefano nasceu em 23 de fevereiro de 1923, na Ilha de Rodhes filho do casal Cryssanti Zarvos Vassiliadis e Eleutério Vassiliadis. Chegou ao Brasil no dia 2 de abril de 1951. Instalou-se em Lins e, pPouco a pouco foi trazendo sua família: mãe, esposa e filhos. Faleceu em 6 de março de 1997 em San Ignácio, um vilarejo do Paraguai.


Nota:

(*) «História de um Homem Só» de Maria Lucia Zarvos

Participe da ONG Amigos da Ayá Tsambica

«Fio invisível e sagrado une Lins a Rodhes»

Igreja de Ayá Tsambica de Lins ameaçada

A primeira igreja em estilo bizantino, construída no Estado de São Paulo, está ameaçada. Considerada uma pérola bizantina no Noroeste Paulista, a histórica igreja de Ayá Tsambica, em Lins, precisa ser restaurada e preservada. Para tanto, Marina Zarvos Ramos de Oliveira e Luiz Eduardo N. Ramos de Oliveira resolveram fundar uma ONG e somar forças em prol desse ideal.

Desde o ano passado, houve várias tentativas para sensibilizar a prefeitura de Lins, a liderar o processo de restauração junto à comunidade. Infelizmente não há interesse das autoridades municipais. Então, a solução encontrada por Marina e Eduardo é formar a ONG dos Amigos da Ayá Tsambica de Lins.

«A Igreja Grega Ortodoxa de Lins», explicam os fundadores da ONG, «é mais que um patrimônio histórico linense. Interessa aos que são ortodoxos, à comunidade grega do Brasil, aos simpatizantes da cultura helênica, ao cidadãos da região Noroeste de São Paulo, enfim, a todos que se preocupam com a preservação da cultura e da história humana. Nossa causa não tem fins lucrativos ou políticos. A meta é preservar e revitalizar um patrimônio histórico-cultural de inestimável valor.»

Para participar, envie sua manifestação de interesse via e-mail: mazarvos@uol.com.br - ou pelo telefone (0xx11) 5051-7946

«Fio invisível e sagrado une Lins a Rodhes»

Ayá Tsambica ganha mais um parceiro

O Lions Clube de Lins é o mais novo parceiro da ONG Amigos de Ayá Tsambica, que tem como objetivo preservar «a igreja dos gregos», um importante patrimônio histórico da cidade de Lins. Em agosto, crianças de Lins visitaram a Igreja e, simbolicamente, comemoraram a realização dos Jogos Olímpicos em Atenas. Representando a ONG, Helena Zarvos recepcionou os visitantes, lembrando um pouco da história da igreja, herança dos gregos na região. Veja a gravação do evento, acessando o site www.tvlins.com.br

Para mais informações sobre a ONG Amigos da Ayá Tsambica, fale com Marina ou Luiz Eduardo, através do e-mail: mzarvos@uol.com.br

«Fio invisível e sagrado une Lins a Rodhes»

«Desbravadores do interior» recebem prêmio pelo resgate da «Igreja dos Gregos» em Lins

Quase 55 anos depois de sua chegada à cidade de Lins, no interior paulista, o grego Stefano Vassiliadis será lembrado na noite desta sexta-feira (10/06), pela fé e perseverança que o fizeram erguer, em solo brasileiro, um templo ortodoxo em homenagem à padroeira de sua terra natal. A igreja, que estava abandonada, despertou a atenção de um grupo de estudantes do Instituto Americano de Lins. Eles resgataram a história da "Igreja dos Gregos" e pretendem, agora, inseri-la como referência histórica e turística da cidade. O trabalho foi premiado entre mais de 1.200 projetos inscritos no concurso "Tesouros do Brasil", patrocinado pela Fiat Automóveis com apoio da Unesco, Ministério da Cultura, Ministério da Educação e do Iphan - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. A solenidade de premiação acontece na própria Igreja, a partir das 20h, com a presença de educadores, religiosos e do prefeito de Lins, professor Waldemar Sandoli Casadei. Em 1951, o grego Stefano Vassiliadis, nascido na cidadezinha de Arcanjelo, na Ilha de Rhodes, chegou a Lins, no interior paulista, para juntar-se aos seus compatriotas na cultura de arroz. Devoto da padroeira Tsambica, ele jurou erguer uma igreja em honra à santa, reproduzindo a construção de sua terra natal, com os ganhos das colheitas. As obras, em estilo bizantino, começaram em 1957 e, em 7 de setembro de 1958, o Templo Ortodoxo grego Aya Tsambica foi inaugurado, com festa. Enquanto houve algum grego na cidade, a igreja foi bem cuidada. Com o tempo, os mecenas dispersaram-se e hoje, o templo está abandonado. Esta realidade, porém, tende a se modificar a partir do trabalho de oito alunos da 3ª série do ensino médio do Instituto Americano de Lins, que se autodenominaram os «desbravadores do Interior Paulista».

Orientados pela professora Sueli Aparecida Tabian Laranjeiras, eles executaram um profundo projeto de pesquisa a respeito da história da «Igreja dos Gregos», com mais de 300 entrevistas, e fizeram o registro fotográfico da construção e de seu acervo artístico. A proposta de ação dos «desbravadores» é editar uma cartilha ilustrada, com 300 exemplares, a ser distribuídas para as escolas, bibliotecas, instituições e personalidades e promover excursões à igreja por estudantes de toda a cidade, além de outras iniciativas de divulgação.

Voltar à página anterior Topo da página  
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Canto Bizantino • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas