Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Loading
Biblioteca Ecclesia
 
 
 

São Nectários de Aegina

Tradução: Pedro Ravazzano

divino Nectário de Aegina é um do mais conhecidos Santos Ortodoxos Gregos. Ele nasceu em primeiro de Outubro de 1846 em Silyvria, na Ásia Menor (agora ocupada pela Turquia). No Santo Batismo deram-lhe o nome de Anastácio. Os seus pais eram simples Cristãos piedosos. Eles criaram-no em uma maneira que agrada a Deus e fizeram com meios muito limitados para continuar sua educação formal. Tendo concluído escola elementar na sua cidade natal, ele partiu para a grande cidade de Constantinopla com 14 anos de idade. Lá, ele encontrou o emprego como um ajudante de loja e foi capaz de viver uma vida parca. Ele ia regularmente assistir à Divina Liturgia, e lia as Sagradas Escrituras e os Escritos dos Anciãos da Igreja diariamente . Em 1866, com 20 anos de idade, Anastásio foi à ilha de Chios, onde tornara-se um professor. Depois de 7 anos, ele estabeleceu o mosteiro local, aos cuidados do venerável Pacómio. Depois de 3 anos como noviço, Atanásio foi tonsurado Monge recebendo o nome Lázaro.

Um ano depois, ele foi ordenado Diácono e recebeu o nome Nectário. O Ancião Pacómio, e um rico benfeitor local convenceram o jovem monge a concluir os seus estudos superiores em Atenas. Daí o Diácono Nectários foi à Alexandria, onde conquistou a simpatia do Patriarca da Alexandria, Sofrônio. O Patriarca insistiu que Nectário concluísse seus estudos Teológicos, e então em 1885 ele licenciou-se na Escola de Teologia de Atenas. O Patriarca da Alexandria ordenou o Diácono Nectário ao Sacerdócio em 1886. O seu grande serviço à Igreja, escritos e ensinos prolíficas e, energia e zelo levaram o franco Nectário a ser ordenado como Metropolita de Pentápolis no Egito.

Como Metropolita ele foi muito admirado e amado pela seu rebanho por causa da sua virtude e pureza de vida. Mas esta grande admiração pela gente levantou a inveja de certos altos funcionários, que conspiraram e tiveram sucesso em ter o Abençoado Metropolita retirado do seu ofício em 1890 - sem uma prova ou qualquer explicação. Ele voltou à Grécia para se tornar monge e Pregador, aperfeiçoando a moral do povo. Lá o Abençoado Metropolita continuou a escrever os seus agora famosos livros.

Em 1904, o nosso Santo fundou um mosteiro de mulheres em Aegina, o Convento da Santíssima Trindade. Sob sua orientação o Convento floresceu. Em 1908, Abençoado Nectário, com 62 anos de idade, saindo da Escola Eclesiástica Rizarios e retirou-se no Convento em Aegina. Lá, viveu o resto da sua vida como um verdadeiro monge e asceta. Serviu como confessor e guia espiritual às freiras e até sacerdotes da longe Atenas e Pirineus. A sua santa e piedosa vida seguiu adiante com uma direção iluminadora a todos perto dele. Muitos lhe buscariam atrás de curas. São Nectário foi um grande andarilho durante a vida.

No dia 20 de Setembro de 1920 uma das freiras levou-o ao hospital local, apesar do seu protesto. Ele convulsionava na dor de uma doença existente há muito tempo. Foi admitido, e colocado em uma ala reservada para pobres e renegados. Lá ele ficou durante dois meses entre a vida e a morte. Às 10:30 da manhã do dia 8 de Novembro, embora no meio de dores terríveis, na paz e na oração ele abandonou o seu espírito para Deus com 74 anos de idade.

Logo após seu repouso, uma enfermeira veio prepará-lo para a transferência para o enterro em Aegina. Esta retirou o suéter do Santo, inadvertidamente colocou-o na cama ao lado, na qual um paralítico estava. E Oh! Grande maravilha, o paralítico imediatamente começou a recuperar a sua força e saiu curado de sua cama, glorificando a Deus.

Algum tempo depois do seu repouso, estranhamente uma bela fragrância foi emitida pelo seu corpo Sagrado, enchendo a sala. Muitos vieram para venerar as suas santas relíquias antes do seu enterro. Com estupefação, os fiéis observaram um fluído fragrante que ensopara o seu cabelo e barba. Mesmo depois de 5 meses, quando as freiras do convento abriram a sepultura do Santo para construir um túmulo de mármore, eles encontraram o corpo intacto em todos os aspectos e emitindo um maravilhosa e celeste aroma. De mesmo modo três anos depois, as Relíquias Sagradas estavam ainda inteiras e exalando o mesmo abençoado cheiro.

A Igreja Ortodoxa o proclamou Santo no dia 20 de Abril de 1961. A sua Abençoada Memória é celebrada pela Igreja no dia 9 de Novembro.

Clique sobre a imagem para ampliar Clique sobre a imagem para ampliar Clique sobre a imagem para ampliar Clique sobre a imagem para ampliar

Hino «Agni Parthene»

O hino Agni Parthene foi composto por São Nektários de Egina, bispo ortodoxo, e se conta que, após sua morte, ninguém sabia mais a melodia. Então, anjos teriam descido do céu cantando o "Agni Parthene".

Tradução para o português por Fábio Lins

Ó Virgem Pura e Rainha,
Imaculada, Theotokos!
Ave, Esposa Inesposada!
Mãe Virgem e Rainha,
Manto Orvalhado cobre-nos!
Ave, Esposa Inesposada!
Ó Altíssima, mais que os céus,
ó Luminosa, mais que o sol!
Ave, Esposa Inesposada!
Ó deleite dos santos virginais,
maior que os celestiais!
Ave, Esposa Inesposada!
Ó luz dos céus mais brilhante,
mais pura e radiante!
Ave, Esposa Inesposada!
Ó mais Santa e angelical,
ó Santíssimo altar celestial!
Ave, Esposa Inesposada!

Maria Sempre Virgem,
Senhora da Criação!
Ave, Esposa Inesposada!
Ó Imaculada Esposa Virgem,
ó Puríssima Nossa Senhora!
Ave, Esposa Inesposada!
Maria, Esposa e Rainha,
fonte da nossa alegria!
Ave, Esposa Inesposada!
Venerável Virgem Donzela,
Santíssima Mãe e Rainha!
Ave, Esposa Inesposada!
Mais venerável que os Querubins,
mais gloriosa que os Sereafins!
Ave, Esposa Inesposada!
És mais alta em plena glória,
que toda a hoste incorpórea!
Ave, Esposa Inesposada!

Ave hino dos arcanjos,
Ave música dos anjos!
Ave, Esposa Inesposada!
Ave, canto dos Querubins,
Ave canto dos Serafins!
Ave, Esposa Inesposada!
Ave, paz e alegria, alegrai-vos,
Ave, porto da salvação!
Ave, Esposa Inesposada!
Do Verbo santo, quarto nupcial;
Flor, fragrância da Incorrupção!
Ave, Esposa Inesposada!
Ave, deleite do Paraíso,
Ave, Vida Imortal!
Ave, Esposa Inesposada!
Ave, Árvore da Vida,
e Fonte da Imortalidade!
Ave, Esposa Inesposada!

Imploro-te, ó Rainha,
eu te suplico!
Ave, Esposa Inesposada!
Peço-te ó Rainha da Criação,
imploro tua benção!
Ave, Esposa Inesposada!
Ó Virgem Pura Venerável,
ó Santíssima Senhora
Ave, Esposa Inesposada!
Com fervor eu te suplico,
ó Templo Sagrado!
Ave, Esposa Inesposada!
Percebe-me, ajudaime,
livra-me do inimigo!
Ave, Esposa Inesposada!
Intercede por mim
para que eu tenha a Vida Eterna!
Ave, Esposa Inesposada!

 

Voltar à página anterior Topo da página
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Canto Bizantino • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas