November 27, 2014

Da arte de calar

Só se deve deixar de calar quando se tem algo a dizer que valha mais do que o silêncio. Há um tempo de calar, assim como há um tempo de falar. O tempo de calar deve sempre vir em primeiro lugar; e nunca se pode bem falar quando não se aprendeu antes a calar. É certo que, considerando as coisas em geral, há menos risco em calar do que em falar. O homem nunca é tão dono de si mesmo quanto no silêncio: fora dele, parece derramar-se, por assim dizer, para fora de si e dissipar-se pelo discurso; de modo…

Read More