September 30, 2014

Deus separou a luz das trevas (Gn 1,4)

s-tiago-de-saroug

Quando os anjos, em assombro, não ousavam perguntar nada, a ordem de Deus ecoou: «Faça-se a Luz!» (Gn 1,3), e a luz rompeu as trevas… Foi domingo, o primeiro dos dias, o primogénito entre os seus irmãos, o dia portador de mistérios e símbolos. Deus criara dois gémeos que em nada se pareciam: a noite muito escura, e o dia muito claro. A noite era a irmã mais velha, mas o dia apanhou-a e ocupou o seu lugar. Este primeiro dia, este fundamento da criação, não se esvaiu hora a hora; a luz não nasceu a Oriente para se pôr…

«Dar fruto»

s-basilio

O Senhor está permanentemente a comparar a alma humana com uma vinha: «O meu amigo possuía uma vinha numa colina fértil» (Is 5,1); «plantou uma vinha, cercou-a com uma sebe» (Mt 21,33). É, evidentemente, à alma humana que Jesus chama a Sua vinha, foi a ela que cercou, como se fosse uma sebe, com a segurança que proporcionam os Seus mandamentos e a proteção dos Seus anjos, porque «o anjo do Senhor assenta os seus arraiais em redor dos que O temem» (Sl 33,8). Em seguida, ergueu em nosso redor uma paliçada, estabelecendo na Igreja «primeiro, apóstolos, segundo, profetas, terceiro,…