Portal Ecclesia
A Igreja Ortodoxa Atualizações e notícias Seleção de textos Subsidios homiléticos para Domingos e Grandes Festas Calendário litúrgico bizantino Galeria de Fotos Seleção de ícones bizantinos Clique aqui para enviar-nos seu pedido de oração Links relacionados Clique para deixar sua mensagem em nosso livro de visitas Contate-nos
 
 
Loading
Suplemento Litúrgico para os Domingos e Grandes Festas  
 
 
 

Domingo, 02 de Abril de 2017:

5º domingo da Quaresma:

«Santa Maria do Egito»

(2º antes da Páscoa - Modo 4º Plagal)

Memória de São Tito, o Taumaturgo (séc. IX).

Matinas

Evangelho

[Jo 20, 11-18]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o evangelista São João.

aquele tempo, Maria estava chorando fora, junto ao sepulcro. Estando ela, pois, chorando, abaixou-se para o sepulcro. E viu dois anjos vestidos de branco, assentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés. E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram. E, tendo dito isto, voltou-se para trás, e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus. Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei. Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni, que quer dizer: Mestre. Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus. Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos que vira o Senhor, e que ele lhe dissera isto.

Divina Liturgia

Apolitikion da Ressurreição

Desceste das alturas, ó Misericordioso,
e suportaste a sepultura por três dias,
para nos libertar dos sofrimentos.
Senhor, nossa vida e ressurreição, glória a ti!

Apolitikion Próprio

Em ti foi conservada com fidelidade
a imagem de Deus, ó Maria;
pois tomaste a Cruz e seguiste Cristo,
ensinando, com o teu exemplo,
a desprezar o corpo, porque mortal
e a cuidar da alma imortal.
Por isso, ó Santa, tua alma se rejubila com os Anjos.

Theotokion

Tu, que pela nossa salvação nasceste da Virgem,
sofreste a crucifixão, ó Misericordioso,
e com a morte venceste a morte,
revelando, como Deus, a ressurreição;
não abandones a nós, obra de tuas mãos;
mostra-nos a tua filantropia,
e atende as preces da tua Mãe que roga por nós,
e salva-nos, ó Salvador nosso!

Kondakion

Tendo ressuscitado do túmulo,
deste a vida aos mortos e levantaste Adão;
Eva se regozija com a tua ressurreição,
e exultam de alegria, ó Misericordioso, os confins da terra!

Kondakion Próprio

Fugiste das trevas do pecado
e te iluminaste com a luz da penitência.
Dirigiste o teu coração a Cristo, ó gloriosa
e apresentaste-lhe, como advogada compassiva,
sua Mãe Santíssima e isenta de toda imperfeição
alcançando, por isso, o perdão das culpas
e a felicidade com os Anjos.

Prokimenon

Fazei votos ao Senhor nosso Deus e cumpri-os,
todos os que o cercam tragam oferendas.

Deus é conhecido na Judéia,
grande é o seu nome em Israel.

Epístola

[Hb 9, 11-14]

Epístola aos Hebreus.

rmãos, Cristo veio como sumo sacerdote dos bens futuros. Ele entrou no Santuário através de uma tenda maior e mais perfeita, não feita por mãos humanas, nem pertencendo a esta criação. Ele entrou no Santuário, não com o sangue de bodes e bezerros, mas com seu próprio sangue, e isto, uma vez por todas, obtendo uma redenção eterna. De fato, se o sangue de bodes e touros e a cinza de novilhas espalhada sobre os seres impuros os santificam, realizando a pureza ritual dos corpos, quanto mais o sangue de Cristo purificará a nossa consciência das obras mortas, para servirmos ao Deus vivo! Pois em virtude do Espírito eterno, Cristo se ofereceu a si mesmo a Deus como vítima sem mancha.

Aleluia

Vinde, regozijemo-nos no Senhor,
cantemos as glórias de Deus, nosso Salvador!

Apresentamo-nos diante dele com louvor,
e celebremo-lo com salmos!

Evangelho

[Mc 10, 32-45]

Evangelho de Jesus†Cristo, segundo o evangelista São Marcos.

aquele tempo, Jesus e os discípulos estavam a caminho, subindo para Jerusalém. Jesus ia à frente, e eles, assombrados, seguiam com medo. Jesus, outra vez, chamou os doze de lado e começou a dizer-lhes o que estava para acontecer com ele: “Estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos sumos sacerdotes e aos escribas. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos. Vão zombar dele, cuspir nele, açoitá-lo e matá-lo, mas três dias depois, ele ressuscitará”. Tiago e João, filhos de Zebedeu, aproximaram-se de Jesus e lhe disseram: “Mestre, queremos que faças por nós o que te vamos pedir”. Ele perguntou: “Que quereis que eu vos faça?” Responderam: “Permite que nos sentemos, na tua glória, um à tua direita e o outro à tua esquerda!” Jesus lhes disse: “Não sabeis o que estais pedindo. Podeis beber o cálice que eu vou beber? Ou ser batizados com o batismo com que eu vou ser batizado?” Responderam: “Podemos”. Jesus então lhes disse: “Sim, do cálice que eu vou beber, bebereis, com o batismo com que eu vou ser batizado, sereis batizados. Mas o sentar-se à minha direita ou à minha esquerda não depende de mim; é para aqueles para quem foi preparado”. Quando os outros dez ouviram isso, começaram a ficar zangados com Tiago e João. Jesus então os chamou e disse: “Sabeis que os que são considerados chefes das nações as dominam, e os seus grandes fazem sentir seu poder. Entre vós não deve ser assim. Quem quiser ser o maior entre vós seja aquele que vos serve, e quem quiser ser o primeiro entre vós seja o escravo de todos. Pois o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate por muitos”.

Kinonikon

Tomarei o Cálice da Salvação
e invocarei o nome do Senhor!
Aleluia, aleluia, aleluia!


relato de Marcos é iniciado pelo terceiro anúncio da Paixão e morte que o Senhor sofreria na Cidade de Jerusalém, feito por Ele mesmo, enquanto caminhava com seus discípulos. Estes, estavam temerosos e admirados por ver o Senhor seguir determinado rumo à cidade que lhe traria tantos sofrimentos. Ante tal anúncio, porém, silenciaram; o diálogo foi retomado pelos filhos de Zebedeu (Tiago e João) que apresentaram um pedido ambicioso a Jesus: ocupar no Reino dos Céus os lugares de Honra.

Esta solicitação, após o anúncio do sofrimento e morte do Senhor, parecia revelar a falta de solidariedade e compaixão somadas a um extremo egoísmo por parte dos dois. Seria como alguém muito querido e próximo de nosso convívio, anunciar sua morte e questionarmos, em seguida, o quanto e o que ganharíamos por herança.

A este respeito assim comenta São João Damasceno:

«Um coração repleto de preocupações mundanas deixa revelar pela boca que não conhece verdadeiramente a Deus. Os filhos de Zebedeu ao solicitar os primeiros lugares após a morte do Senhor, demonstraram sua cegueira e rusticidade ante o Divino que ali estava».

Tiago e João tinham uma concepção política muito forte a respeito do messianismo de Jesus. Imaginavam que Ele iria reinar e sendo os dois mais próximos queriam garantir os lugares mais nobres no Banquete celestial, antes que outros solicitassem tal honra. Jesus transforma os pensamentos de soberba, grandeza e honras e os faz recordar do serviço e da entrega: do banquete passa a refletir sobre a taça que deveria beber. Mesmo assim, os discípulos diziam estar dispostos a beber do cálice que estava reservado ao Senhor. Logo, o Senhor os admoesta dizendo que compartilhariam da mesma sorte que Ele, mas em tempos diferentes. Quanto aos lugares no Reino dos Céus, solicitados por eles, não caberia ao Senhor garantir: somente Deus reserva os lugares e os reserva como quer. Aqueles que ambicionam os primeiros lugares não são dignos do Reino, devem servir e não serem servidos.Os discípulos de Jesus devem ser regidos por princípios opostos aos do mundo. Na comunidade apostólica toda a ambição deve ser substituída pelo espírito de serviço e humildade, pois nele se manifesta o amor, a entrega e a oblação pelo irmão.

«O Filho do Homem veio para servir e dar a sua vida em resgate de muitos».

Nesta frase Jesus revela o porquê de sua morte: quer redimir os filhos de Deus e quer resgatá-los para Deus, através do serviço e da entrega.

O poder no Reino de Deus consiste no servir. O poder no reino do mundo consiste em ser servido. No Reino do amor é diferente. O amor só tem poder enquanto ele é doado e se coloca a serviço. Servir é ser pequeno, frágil. Frente ao pequeno nós, ou nos revelamos solidários, ou sedentos e despóticos . Diante do irmão que parece ser simples, sem importância descobriremos a nossa capacidade de amar.

A Festa de Santa Maria do Egito nos faz corajosos em seguir o Senhor, no serviço aos irmãos. De grande pecadora transformou-se em grande Santa da Igreja. Aquela que estava perdida foi encontrada pelo Senhor. Não desanimemos, pois, em nossas quedas e pecados. Que eles sejam transformados em trampolins que nos jogarão para os braços misericordiosos do Pai.

«HOMILIA»

Extraída do Boletim dominical n° 12
Igreja Ortodoxa Grega da Anunciação da Mãe de Deus
Brasília - DF

Esta é a última semana da Grande Quaresma, e daqui a sete dias já se inicia a Semana Santa. Nós cristãos devemos aproveitar estes últimos dias da Grande Quaresma para nos tornarmos pessoas melhores do que quando começamos este santo período de reflexão e arrependimento.

Como é da tradição da Igreja Ortodoxa, todos os anos, no 5º domingo da Grande Quaresma, celebramos a memória de Santa Maria do Egito, exemplo de fé e arrependimento. É o verdadeiro arrependimento que traz o perdão de Cristo. E o arrependimento também inclui o perdão aos nossos ofensores: é assim a oração que Cristo nos ensinou. Perdão e arrependimento sempre caminham juntos com o amor e a caridade, sentimentos estes fundamentais para a vida cristã (1Cor. 16:14). Assim, nós cristãos, ao pesar nossas ações, devemos medi-las com a lei cristã do amor.

Lembremos que a alegria do amor de Cristo só é alcançada quando Seus ensinamentos e mandamentos são seguidos.

Na 1ª Epístola, São João afirma: “e tudo o que Lhe pedirmos, d’Ele receberemos, porque guardamos os Seus mandamentos e fazemos o que é agradável a Seus olhos” (1Jo. 3:22).

A obediência aos ensinamentos e mandamentos de Cristo é de extrema importância. São Diadochos de Photiki disse: “É bem sabido que, dentre as virtudes da iniciação, a obediência é a principal. Primeiramente ela substitui a mera presunção, e assim gera a humildade dentro de nós” (Philokalia, V1, p. 266).

É pelo Santo Evangelho que devemos nos orientar em nossa vida cristã. Como cristãos ortodoxos, devemos buscar nosso alimento espiritual na vida e ensinamentos de Cristo, dos Santos Apóstolos, e dos santos e mártires da Santa Igreja de Cristo.

A Grande Quaresma é tempo para nos concentrarmos nos cuidados da alma. Buscar a purificação da alma deve ser a principal preocupação durante a jornada quaresmal.

Assim, faz-se necessário o verdadeiro arrependimento do pecado, a firme rejeição das práticas pecaminosas e, principalmente, o amor de Deus.

A Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo se aproximam no horizonte da Grande Semana Santa. Refletir profundamente sobre o amor e a humildade de Cristo é muito importante para os cristãos que buscam a renovação em Cristo Deus.

Pelo Evangelho de São Marcos (10: 32-45), tivemos hoje, nas palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo, uma eloquente lição de humildade e servidão. Como cristãos, devemos abraçar e tomar para nós o exemplo de Cristo: sejamos, portanto, mais humildes. Aqueles que reconhecem e se arrependem de seus pecados não podem ser arrogantes.

Na vida cristã, não há lugar para aqueles que se elevam com orgulho e arrogância sobre os outros. Fazer bom uso de cada dia restante da Grande Quaresma é de suma importância.

Nas palavras do Santo Apóstolo Paulo: “agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação” (2 Cor. 6:2).

«A Vida de Nossa Santa Mãe, Maria do Egito»

Voltar à página anterior Topo da página  
NEWSIgreja Ortodoxa • Patriarcado Ecumênico • ArquidioceseBiblioteca • Sinaxe • Calendário Litúrgico
Galeria de Fotos
• IconostaseLinks • Canto Bizantino • Synaxarion • Sophia • Oratório • Livro de Visitas