O Santo Apóstolo Judas foi um dos doze apóstolos do Senhor, e sua origem é a tribo de Judá, de onde descende também David e Salomão. São Judas nasceu em Nazaré, Galiléia, filho de José, o Justo, a quem a Puríssima Virgem Maria desposou. Segundo a tradição, a mãe de Judas foi Salomé, filha de Hagai. Este, por sua vez, era filho de Baraquiá, irmão de São Zacarias, o pai do precursor do Senhor, o Profeta São João Batista. Judas era irmão do apóstolo São Tiago, o Justo, o primeiro hierarca da Igreja de Jerusalém. O Santo Apóstolo era mais conhecido como «Judas de Tiago», ou seja, o irmão do apóstolo Tiago. Ele, em sua grande humildade, preferia este sobrenome, pois se considerava indigno de ser chamado irmão do Senhor, segundo a carne, porque julgava-se pecador diante de Deus por sua falta de fé e de amor fraterno.

O Santo Evangelista João, o Teólogo, atesta este pecado de Judas, a sua falta de fé, quando escreve: «Nem seus irmãos creram nele» (Jo 7,5). Explicando esta passagem do Evangelho, São Teofilacto interpreta que os irmãos aqui mencionados eram os filhos de José. E assinala: «Nem mesmo os seus irmãos, os filhos de José (entre os quais, Judas) creram nele – isto é, em Jesus. E, de onde vem esta incredulidade? Da tola falta de vontade e da inveja, porque é mais comum nas pessoas sentirem inveja de seus próprios parentes que de estranhos». Fica, portanto, claro, que Judas pecou contra o Senhor por causa da sua pouca fé.

Do mesmo modo, Judas mostrou a sua falta de amor fraterno para com Jesus quando José, no seu regresso do Egito, decidiu dividir suas terras entre os filhos nascidos de sua primeira esposa. Queria também dar uma parte para Jesus, que era ainda apenas um menino, nascido de maneira sobrenatural da Puríssima Virgem Maria. Porém, os três filhos de José não admitiram compartilhar com Cristo, já que havia nascido de outra mãe; somente São Tiago, o quarto filho, concordou que Jesus fosse seu co-proprietário da parte que lhe coube, pelo que, mais tarde, foi chamado de «Irmão de Jesus». Consciente dos seus pecados anteriores, pela sua falta de fé e de amor fraterno, Judas não se atreveu a se chamar o «irmão de Cristo», mas somente «irmão de Tiago», como escreve em sua epístola: «Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago». (Jd 1,1)

Além de ser chamado «Apóstolo irmão de Tiago», Judas tinha ainda outros títulos. O evangelista Mateus o chamava Lebeu e Tadeu. Estes nomes lhe foram atribuídos com razão, pois, Lebeu significa «fervoroso». No apóstolo Judas, este título significaria que, após ter cometido pecados contra o Cristo Deus por sua incredulidade, mais tarde veio a crer em Jesus como o verdadeiro Messias, e se uniu a ele de todo o seu coração. O Apóstolo Judas era também chamado «Tadeu», que significa «aquele que presta louvor», porque ele glorificou e confessou a Cristo Deus, proclamando o seu Evangelho a muitas nações.

Muito pouco se sabe sobre a vida e as atividades do Santo Apóstolo Judas, além do fato de que ele se casou com uma mulher chamada Miriam. Tudo o que se sabe, além disso, é que durante o reinado de Domeciano (81-96 d.C.), dois netos de Judas, que trabalhavam a terra com suas próprias mãos, foram levados pelo mesmo Imperador, por calúnias feitas por hereges, dado que eram descendentes de Davi e parentes do Senhor. Mas, depois que o Imperador teve a certeza de que não significariam qualquer risco político para ele, foram postos em liberdade.

Tal como os outros «irmãos do Senhor , o apóstolo Judas empreendeu muitas missões, levando e difundindo o evangelho de Cristo. Pouco depois da ascensão aos céus do Senhor Jesus Cristo, o apóstolo Judas, tal como fizeram todos os demais apóstolos de Cristo, saiu em viagens missionárias para levar o Evangelho de Cristo. O testemunho do historiador eclesiástico Nicéforo, assinala que: «O divino Judas, que tinha o duplo título de Tadeu e Lebeu, filho de José e irmão de Tiago (que foi jogado do pináculo do templo de Jerusalém), pregou o Evangelho e propagou o Cristianismo, em primeiro lugar na Judéia, Galiléia, Samaria, Idumea e, em seguida, na Arábia, Síria e na Mesopotâmia. Finalmente, ele chegou à cidade de Edessa, que pertencia ao rei Abgar, onde o Evangelho já havia sido anunciado por outro Tadeu, um dos setenta Apóstolos. Lá, o apóstolo Judas empreendeu e concluiu o que o outro Tadeu não tinha terminado”.

Existem algumas indicações que permitem presumir que o Santo Apóstolo Judas tenha pregado o Cristianismo também na Pérsia, onde escreveu sua epístola universal em língua grega. A ocasião ou razão para que tenha escrito esta epístola, não se sabe. Tais fatos foram ocultados por essa gente ímpia, entre a comunidade dos crentes que, convertendo a graça de Deus numa oportunidade para praticar o mal e pecar, e, sob o pretexto e disfarce da liberdade religiosa, permitiram-se cometer todo o tipo de ações abomináveis. Esta curta epístola contém muitos pensamentos profundos e muita doutrina edificante. Em parte, trata de ensinamentos dogmáticos: o mistério da Santíssima Trindade, a encarnação do Filho de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, a diferença entre bons e maus anjos, e o terrível Juízo que está por vir; de outra parte, trata de ensinamentos morais: a exortação a evitar a impureza do pecado – a injúria carnal, blasfêmia, orgulho, desobediência, inveja, ódio, rancor e traição. O Apóstolo aconselha a todos a permanecer fiéis em seus deveres, a sua fé, oração e amor; recomenda que nos preocupemos em corrigir os errantes e de evitar os hereges, cuja moral, espiritualmente daninha, descreve ele claramente, explicando que os hereges perecerão como o povo de Sodoma (Jd 1,7 ss).

Além disso, o Apóstolo São Judas afirma em sua epístola que, para a nossa salvação, não é suficiente a conversão do paganismo ao cristianismo, mas que, além da fé, é preciso realizar as obras apropriadas aos cristãos e dignas de salvação; cita então, como exemplo, os anjos e homens que foram punidos por Deus: aos anjos que não conservaram a sua dignidade, Deus lhes prendeu com eternas correntes, submetendo-os à escuridão eterna até o dia do terrível Juízo (Jd 1,16). Deus também, depois de ter retirado a salvo o seu povo do Egito, fez perecer aos incrédulos, que o negaram e caíram em depravação, não vivendo de acordo com a lei de Deus (Jd 1,5), Em suma, o apóstolo Judas revela, com poucas palavras, grandes verdades em sua epístola.

O Santo Apóstolo Judas visitou ainda muitas outras terras, pregando o Evangelho, convertendo os povos à fé cristã e guiando-os pelo caminho da salvação. Assim fazendo, chegou às terras situadas no entorno do Monte Ararat, onde converteu muita gente da idolatria ao cristianismo. Despertou, portanto, o mal estar dos sacerdotes pagãos contra ele. Estes o agarraram e, depois de submetê-lo a numerosas torturas, suspenderam-no numa cruz atravessando em seu corpo lanças. Assim terminou a luta e a vida do Santo Apóstolo Judas, que partiu para junto de Cristo Deus para receber dele a coroa da eterna recompensa no céu.

Tradução e publicação neste site
com autorização de
Ortodoxia.org
Trad.: Pe. André

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager