Santa Maria Magdalena

Santa Maria Magdalena

Santa Maria Madalena, portadora de mirra, [Mirófora] nasceu na cidade de Magdala, às margens do Lago de Genesaré [Mar da Galileia], ao norte da Terra Santa. Desde a sua juventude era vítima de possessões que lhe causavam sofrimentos. Pela misericórdia divina, Maria teve um encontro com o Senhor, quando, pregando o evangelho, ele visitou sua cidade. Jesus se compadeceu dela e expulsou sete demônios que a atormentavam, propiciando-lhe, assim, uma cura tanto física como espiritual. Daquele momento em diante, Maria se converteu numa discípula do Divino Mestre, servindo-lhe, juntamente com outras virtuosas mulheres.

Quando Jesus foi levado ante Pilatos, sendo por todos injuriado, os discípulos vacilaram e fugiram; Maria, porém, não abandonou o Senhor; esteve junto à Cruz, ao lado de sua puríssima Mãe e do Apóstolo São João, o Discípulo Amado; foi ela quem acompanhou o corpo do Salvador quando era trasladado para o sepulcro no jardim de José de Arimateia, ungindo ali o corpo com o precioso mírron e as substâncias aromáticas, sendo, por isso chamada de Portadora de Mirra [Mirófora]. O sepultamento de Jesus foi realizado às pressas, já que era sexta-feira e, em poucas horas, ao anoitecer, deveria ter início a celebração da Páscoa judaica.

No dia seguinte, depois da Páscoa, primeira hora da manhã de Domingo, quando ainda estava escuro, Maria foi a primeira a chegar ao sepulcro para terminar o rito do sepultamento do corpo do Salvador. Ainda no caminho, pensava sobre como iria mover a pedra à entrada do túmulo, porque era muito pesada. Chegando, viu que a pedra já estava retirada. Voltou apressada aos apóstolos e contou a Pedro e a João o que tinha visto. Os apóstolos foram correndo à sepultura e, ao chegar, encontrando apenas os véus com os quais o corpo de Jesus tinha sido envolvido, foram-se de lá. Maria chegou depois dos apóstolos e, entrando no lugar onde estava a tumba, começou a chorar. Viu então dois jovens vestidos de branco e, um deles, lhe dirigiu a palavra perguntando: «Mulher, por que choras?» Maria respondeu: «Levaram meu Senhor, e não sei onde o puseram.» Tendo dito isto, virou-se e viu Jesus, mas não o reconheceu. Pensando ser o jardineiro, disse-lhe: «Senhor, se foste tu que o levaste, dize-me, onde o puseste?» Jesus lhe disse: «Maria!» E ela reconheceu aquela voz familiar, e viu que o Senhor tinha ressuscitado. Num ímpeto de alegria, prostrou-se aos seus pés.

s-maria-madalena

Santa Maria Magdalena

Nesse mesmo dia, pela terceira vez, Maria foi digna de ver o Salvador Ressuscitado quando, junto às outras mulheres portadoras de aroma [Miróforas], voltou à sepultura. Contou logo aos apóstolos sobre as aparições do Salvador, mas não lhe deram crédito.

Maria, testemunha da vida e dos milagres realizados pelo Salvador, percorreu numerosos países anunciando o Evangelho. Diz-se que, estando em Roma, foi ao Palácio do Imperador Tibério. Durante a audiência que este lhe concedeu, falou-lhe de Jesus Cristo, dos seus ensinamentos, de sua morte e ressurreição. O imperador duvidou da ressurreição e pediu-lhe algumas evidências. Maria então, tomando um ovo cozido que estava sobre uma mesa, entregou ao imperador, dizendo-lhe: «Cristo ressuscitou!» Enquanto pronunciava estas palavras, o ovo de cor branca que estava nas mãos do imperador, tornou-se vermelho bem vivo. [Este acontecimento está muito bem representado na parede oriental do altar da bela igreja de Santa Maria Madalena, localizada no Jardim do Getsêmani, e que foi construída pelo imperador russo Alexandre III, no ano de 1886. A santa se encontra vestida humildemente de branco, ao estilo apostólico, diante do imperador Tibério, que está cercado de guarda-costas. Em sua mão estendida ela segura um ovo vermelho]. No dia de sua comemoração, no Jardim Getsêmani, depois da Divina Liturgia, os peregrinos costumam trocar ovos vermelho pascais, dizendo uns aos outros: «Cristo ressuscitou!»

Depois de Roma, Santa Maria Madalena foi a Éfeso, e lá ajudou o Apóstolo São João, o Teólogo, na pregação do Evangelho. As circunstâncias de sua morte são desconhecidas.

Maria_MagdaliniSÍNTESE HAGIOGRÁFICA: Maria Madalena é uma personagem feminina do Novo Testamento. Provavelmente natural de Magdala (daí o nome Madalena), foi uma das «piedosas mulheres» que acompanhavam Jesus, que a havia libertado de sete demônios. Assistiu à crucifixão e à deposição de Cristo e foi testemunha da Ressurreição do Mestre. Tradicionalmente é identificada com a anônima «pecadora arrependida» de que fala Lucas, aquela que perfumou os pés de Jesus, banhou-os com suas lágrimas e enxugou-os com os próprios cabelos; a sua figura representa, para a cristandade, o símbolo da penitente. A Igreja romana, seguindo são Gregório Magno, além de a identificar com a «pecadora», também a confunde freqüentemente com Maria de Betânia, irmã de Lázaro, e celebra as três Marias com uma única festa. A Igreja grega, ao contrário, seguindo Orígenes, distingue as três figuras, celebrando três festas diferentes.

Tradução e publicação neste site
com permissão de:
Ortodoxia.org
Trad.: pe. André

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager