Eufrosina era filha única de uma família muito rica. Seu pai, Panfúcio, era um dos homens mais ricos da cidade de Alexandria e, com sua esposa, distinguiam-se por sua fé em Cristo. Aos doze anos Eufrosina ficou órfã de sua mãe, e seu pai  passou a se dedicar inteiramente ao cuidado e educação da filha. Aos 18 anos de idade, seu pai quis desposá-la com um jovem da alta sociedade. Entretanto, a alma de Efrosinis já havia compreendido o amor de Deus, e o casamento seria um sério obstáculo para a sua vida espiritual e seu serviço aos necessitados. Por isso, certo dia, repartiu todos os seus bens com os pobres, saiu silenciosamente de sua casa disfarçado de homem e procurou abrigo num monastério. A Santa era muito admirada por sua luta espiritual e por sua predisposição  ao trabalho. Viveu no monastério durante 38 anos, e ao final de seus dias se reencontrou com seu pai que, mais tarde, seria também consagrado monge. Assim,  a vida de Eufrosina nos recorda as palavras do Evangelho que nos diz: «Veio para nos ensinar a renunciar à impiedade e às paixões mundanas, e a viver neste mundo com toda sobriedade, justiça e piedade» (Tt 2, 12)

Tradução e publicação neste site
com permissão de:
ortodoxia.org
Trad.: Pe. Pavlos

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager