O santo profeta Oséias, filho de Beeri (Berí) da Tribo de Isacar, viveu e pregou no Reino de Israel no tempo próximo a sua destruição. O início de suas atividades proféticas corresponde ao final do reinado de Jeroboão II (782-752), aproximadamente no ano 740 750 a.C., até a queda de Samaria em 722. Eram tempos de decadência espiritual do povo de Israel, crescimento da idolatria e dissolução moral. A pressão da beligerante Assíria provocava a instabilidade política de Israel e frequentes  ataques.

O profeta Oséias acusava energicamente seus contempiorâneos por seus vícios e, em particular, pelos repelentes costumes pagãos copiados dos povos vizinhos. Oséias profetizava os desastres que adviriam. De sua vida pessoal sabe-se que se casou com Gomer que lhe era abertamente infiel, o que levou a divorciar-se formalmente sem que, no entanto, eixasse de amá-la e compadecer-se dela. Este drama pessoal mostrou ao profeta quão duros eram os efeitos da traição espiritual do povo de Israel ao seu Deus, depois que recebeu os mandamentos no Sinai. Os hebreus quebrarm esta aliança, a profanaram e caíram em libertinagem espiritual. Por isso o Senhor predisse pela boca de seu profeta que os hebreus seriam rechaçados e que os pagãos seriam chamados ao Reino de Deus: «E naquele dia farei por eles aliança com as feras do campo, e com as aves do céu, e com os répteis da terra; e da terra quebrarei o arco, e a espada, e a guerra, e os farei deitar em segurança. E desposar-te-ei comigo para sempre; desposar-te-ei comigo em justiça, e em juízo, e em benignidade, e em misericórdias. E desposar-te-ei comigo em fidelidade, e conhecerás ao SENHOR. E acontecerá naquele dia que eu atenderei, diz o SENHOR; eu atenderei aos céus, e estes atenderão à terra. E a terra atenderá ao trigo, e ao mosto, e ao azeite, e estes atenderão a Jizreel. E semeá-la-ei para mim na terra, e compadecer-me-ei dela que não obteve misericórdia; e eu direi àquele que não era meu povo: Tu és meu povo; e ele dirá: Tu és meu Deus!» Os 2,18-23)

Oséias denunciava os sacerdotes, acusando que haviam reduzido a fé em Deus a meras cerimônias formais, despidas de sentimentos, e que não instruíam o povo sobre a Lei de Deus. «O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.  Como eles se multiplicaram, assim pecaram contra mim; eu mudarei a sua honra em vergonha. Comem da oferta pelo pecado do meu povo, e pela transgressão dele têm desejo ardente.  Por isso, como é o povo, assim será o sacerdote; e castigá-lo-ei segundo os seus caminhos, e dar-lhe-ei a recompensa das suas obras». (Os 4, 6-9).

Mais adiante o profeta chama aos que ainda são capazes de atender à sua pregação: «Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida.  Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele.  Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra». (Os. 6, 1-3). Eis o que é valioso para o SENHOR, nos atos humanos: «Por isso os abati pelos profetas; pelas palavras da minha boca os matei; e os teus juízos sairão como a luz, porque eu quero a misericórdia, e não o sacrifício; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos». (Os  6, 5-6).

Diante da iminência da destruição de Israel, o profeta usou de todas as suas forças para despertar o sentimento de arrependimento. Porém, ele anteviu o que viria depois dos desastres e o que estava reservado ao final dos tempos, quando se dará a restauração completa do povo de Deus, quando todos os inimigos e, inclusive a morte, serão aniquilados. «Eu os remirei da mão do inferno, e os resgatarei da morte. Onde estão, ó morte, as tuas pragas? Onde está, ó inferno, a tua perdição? O arrependimento está escondido de meus olhos» (Os 13,14). Algumas expressões de Oséias foram citadas em alguns escritos do Novo Testamento.: Os 11, 1 >> Mt 2, 15; Os 6, 6 >> Mt 9, 13; Os 2, 23 >> 1 Pd 2, 10; Os 13, 14 >> 1 Cor 15, 55; Os 10, 8 >> Lc 23, 30, entre outros.

O conteúdo do livro do profeta Oséias segue basicamente o seguinte: sobre a esposa infiel e a infidelidade de Israel (1-2); sobre a fidelidade divina (3); acusação a Iscrael (4-7); Juízo de Deus sobre Israel (8-10); uma série de pregações curtas sobre os temas acima referidos (11-14); encerrando o livro com a promessa da salvação dos justos  (14).

O Profeta Oséias II

Profeta Oséias

Profeta Oséias

Profeta e escritor hebreu do livro bíblico de Oséias; identificado apenas como filho de Beeri. Oséias serviu como profeta de Iaweh durante os reinados dos reis Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, de Judá, e de Jeroboão II (filho de Joás), de Israel, em fins do nono século e bem avançado no oitavo século a. C. (Os 1:1) Os profetas do mesmo período geral incluíam Amós, Isaías e Miquéias. (Am 1:1; Is 1:1; Miq 1.1) Oséias pode ser identificado como profeta (e, provavelmente, como súdito) do reino setentrional de Israel, de dez tribos. Esse reino era o principal objeto das declarações contidas no livro de Oséias. Enquanto que Judá foi citado por nome apenas 15 vezes, e sua capital, Jerusalém, nem sequer uma vez, o livro contém 44 referências a Israel, 37 a Efraim (a tribo dominante de Israel), e 6 a Samaria, a capital do reino setentrional. A maioria dos outros locais mencionados no livro eram parte do reino setentrional ou então se achavam dentro de suas fronteiras. (Os 1:4, 5; 5:1, 8; 6:8, 9; 10:5, 8, 15; 12:11; 14:6, 7). Não obstante, parece que Oséias atribuía importância primária aos reis de Judá, mencionando todos os quatro que reinaram ali durante seu ministério, ao passo que só alistou aquele que governava em Israel quando ele, Oséias, iniciou seu trabalho. (Os 1:1) Mas, em vez de isso indicar que o profeta veio de Judá ou que ali nasceu, este fator pode indicar que Oséias, assim como outros profetas de Deus, só considerava como governantes legítimos sobre o povo de Deus os reis de Judá, da família de Davi, encarando o reino setentrional de Israel como completa apostasia religiosa e civil com relação a Javé. Naturalmente, esta listagem dos governantes de ambos os reinos facilita datar com mais precisão as atividades proféticas de Oséias.

Tradução e publicação neste site
com permissão de Ortodoxia.org
Trad. Pe. André

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager