No início do século IX, habitava em chromma, próximo a Amastris, às margens do Mar negro,  o casal Teodósio e Mageta. Casados já há muito tempo, ainda não havia sido agraciados com filhos. Rezavam a pedindo a Deus para que lhes enviasse um. Deus escutou as orações do casal e, quando nasceu um menino, puseram-lhe o nome de Jorge. Aos três anos de idade, o menino caiu em uma fogueira e ficando entre a vida e a morte. Mesmo salvo, as queimaduras lhe deixaram cicatrizes nas mãos e num dos pés. Jorge era de uma bondade extraordinária, o que surpreendia a todos. Completou seus estudos eclesiais e, em sua ordenação sacerdotal muitas pessoas que o viram crescer ou que o conheciam sua fama estiveram presentes. O jovem sacerdote sentiu-se chamado a viver de forma mais despreendida das coisas do mundo e foi para o deserto no Monte Sirik, onde  encontrou um ancião anacoreta que lhe iniciou na vida eremitica. Juntos permaneceram até a morte de seu pai espiritual que havia lhe pedido que, após sua morte, para que não ficasse sozinho, fosse morar no monastério de Bonissa. Jorge, ainda que desconhecido, foi aceito pelos monges que o tratavam como um velho amigo. No entanto, o povo de Amastris não havia ainda se esquecido de Jorge. Quando o bispo local faleceu, Jorge foi eleito para sucedê-lo, e o povo foi ao monastério onde vivia para lhe comunicar sobre sua eleição. Como Jorge se negasse a aceitar o cargo, a comitiva o convenceu a ir a Constantinopla para ser apresentado ao Patriarca Tarásios. O Patriarca recordou-se de Jorge, pois alguns anos antes, em Constantinopla, havia participado de alguns ofícios, cantando no coro. Era costume do Patriarca dar aos cantores, após o oficio, uma pequena espórtula, e Jorge negou-se a recebê-la, o que impressionou muito o Patriarca Tarásios. O Patriarca mostrou-se  decidido a consagrar Jorge bispo, ainda que o imperador tivesse um outro candidato para ocupar o trono em Amastris. Por ter sido eleito pelo povo, o Patriarca resolveu então proceder uma nova eleição entre os dois candidatos. Jorge novamente foi eleito e foi consagrado pelo Patriarca e recebido pelo povo com grande alegria. O novo bispo foi um pai para o seu povo, e sua prudência não superou sua piedade. Naquela época, a região era freqüentemente atacada pelos sarracenos.  Sabendo disso que isso era iminente, o bispo avisou aos camponeses para que se refugiassem dentro das muralhas da cidade. Não acreditando no perigo, negavam-se a sair de suas casas. O bispo Jorge, então, foi de casa em casa para convencer os moradores a irem para dentro  dos muros da cidade. Os camponeses obedeceram seu bispo e os inimigos, ao chegar, decidiram retirar-se ao ver que a cidade estava preparada para expulsá-los.

Tradução e publicação neste site
com permissão de: Ortodoxia.org
Trad.: Pe. Pavlos

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager