Admite-se que o autor do Segundo Evangelho e o Marcos – primo de Barnabé, de que se fala nos Atos e nas Epístolas – sejam uma só e a mesma pessoa. Marcos e Maria viviam em Jerusalém na casa de sua mãe, Maria que ficava próxima ao Jardim do Getsêmani e servia de local de reunião aos primeiros cristãos. Discípulo de São Paulo, esteve ao seu lado quando este ficou preso em Roma. Foi também discípulo de São Pedro: «a que (Igreja) está em Babilônia, eleita como vós, vos saúda, como também Marcos, o meu filho» (1 Pd 5,13s.). Santo Irineu, Tertuliano e Clemente de Alexandria atribuem decididamente a Marcos, discípulo e intérprete de São Pedro, o segundo Evangelho. E segundo os críticos modernos, o evangelho de Marcos foi escrito por volta dos anos 60/70 e dirigido aos cristãos de Roma.

II – O Santo Apóstolo e Evangelista Marcos, também conhecido como João Marcos (At 12:12), foi um dos Setenta Apóstolos, e era sobrinho de São Barnabé (11 de junho). Ele nasceu em Jerusalém e, de acordo com a Tradição da Igreja, na noite em que Cristo foi traído, ele o seguiu atrás, envolto apenas em um pano de linho. Detido por soldados, ele fugiu desnudo, deixando para trás o pano. « E um certo jovem o seguia, envolto em um lençol sobre o corpo nu. E lançaram-lhe a mão, mas ele, largando o lençol, fugiu nu. (Mc 14:51-52). Após a Ascensão do Senhor, a casa de sua mãe Maria se tornou um lugar onde os cristãos se reuniam, e um local de alojamento para alguns dos apóstolos (At 12:12). São Marcos foi um companheiro muito próximo dos Apóstolos Pedro e Paulo (29 de Junho) e Barnabé. Foi a Selêucia, com Paulo e Barnabé, e de lá partiu para a ilha de Chipre, e atravessou toda a ilha, de leste a oeste. Na cidade de Paphos, São Marcos testemunhou a cegueira que São Paulo fez cair sobre o feiticeiro Elimas (At 13:6-12). Depois de trabalhar com o Apóstolo Paulo, São Marcos retornou a Jerusalém indo depois foi para Roma com o apóstolo Pedro. De lá, partiu para o Egito, onde fundou uma igreja local. São Marcos conheceu São Paulo em Antioquia. De lá ele foi com São Barnabé para Chipre, indo depois ao Egito novamente, onde ele com São Pedro fundaram muitas igrejas. Foi depois então para a Babilônia e, desta cidade foi que o apóstolo Pedro enviou uma epístola aos cristãos da Ásia Menor, na qual chama São Marcos de seu filho (1 Pd 5,13). Quando o apóstolo Paulo chegou a Roma acorrentado, São Marcos estava em Éfeso, onde São Timóteo (4 de janeiro) foi bispo. São Marcos foi com ele para Roma e, de lá foi que escreveu seu Santo Evangelho (ca. 62-63). De Roma São Marcos viajou para o Egito. Em Alexandria, iniciou uma escola cristã que, mais tarde, produziu sacerdotes notáveis e mestres da Igreja, como São Clemente de Alexandria, São Dionísio de Alexandria (5 de outubro), São Gregório Taumaturgo (5 de novembro) e outros. Zeloso dos serviços da Igreja, São Marcos compôs uma liturgia para os cristãos de Alexandria. São Marcos pregou o Evangelho nas regiões do interior da África, quando esteve na Líbia, em Nektopolis. Durante essas viagens, São Marcos foi inspirado pelo Espírito Santo a ir novamente para Alexandria e enfrentar os pagãos. Lá, ele visitou a casa de Ananias e curou uma de suas mãos aleijada. O dignitário ouviu suas palavras e, cheio de júbilo, recebeu o santo Batismo. Seguindo o exemplo de Ananias, muitos dos habitantes daquela parte da cidade foram batizados.

[singlepic id=126 w=320 h=240 float=left]Isso despertou a inimizade dos pagãos que queriam matar São Marcos. Quando soube disso, São Marcos fez de Ananias bispo, e os três cristãos, Malchos, Sabinos e Kerdinos foram ordenados presbíteros para que a igreja pudesse contar com líderes após a sua morte. Os pagãos aprisionaram São Marcos enquanto celebrava a Liturgia. Eles o espancaram, arrastaram-no pelas ruas e jogaram-no depois na prisão. A São Marcos foi concedida uma visão do próprio Senhor Jesus Cristo que o fortaleceu antes de suas torturas. No dia seguinte, a multidão enfurecida arrastou novamente o santo pelas ruas, e ao longo do caminho, diante do tribunal, São Marcos entregou seu espírito a Deus, dizendo: «Em tuas mãos, ó Senhor, eu entrego meu espírito». Os pagãos quiseram queimar o corpo do santo, mas quando acenderam o fogo, tudo escureceu, ouvia-se trovões e terra tremeu. Os pagãos fugiram aterrorizados, e os cristãos levaram o corpo de São Marcos para sepultar em uma cripta de pedra. Isso foi em 04 de abril do ano 63. A Igreja celebra a sua memória em 25 de abril. No ano 310, uma igreja foi construída sobre as relíquias de São Marcos. Em 820, quando os árabes muçulmanos tinham estabelecido o seu domínio no Egito e oprimido a Igreja Cristã, as relíquias de São Marcos foram transferidas para Veneza e posta na igreja dedicada a ele. Na antiga tradição iconográfica que adotou os símbolos sagrados para os Evangelistas com base na visão de São João, o Teólogo (Ap 4:7) e na profecia de Ezequiel (Ez 1:10), o santo evangelista Marcos é representado por um leão , simbolizando a força e dignidade real de Cristo (Ap 5:5). São Marcos escreveu seu Evangelho para os cristãos gentios, enfatizando as palavras e ações do Salvador, que revelam seu poder divino. Muitos aspectos do seu estilo podem ser explicados por sua proximidade com São Pedro. Os escritores antigos dizem que o Evangelho de Marcos é um registro sucinto da pregação de São Pedro. Um dos temas teológicos centrais do Evangelho de São Marcos é o poder de Deus para se alcançar o que é humanamente impossível; os Apóstolos, os principais milagres realizados por Jesus Cristo (Mc 16:20) e o Espírito Santo (Mc 13:11), atuando através deles; a instrução dada aos  discípulos para que saíssem pelo mundo a pregar o Evangelho a toda criatura (Mc 13:10, 16:15). E foi o que eles fizeram.

Trad.(parcial) e organização: Pe. André Sperandio
Fonte: Vatopaidi

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager