São Cirilo foi uma das três figuras mais importantes do cristianismo russo,  com Clemente Smoliatich e Hilarion, Bispo de Kiev, anterior à época das invasões dos mongóis. Ele viveu em meados do século XII. Primeiro foi monge, depois eremitão. Abandonou sua cela ao ser  nomeado o bispo de Turov, cidade próxima à Kiev. O historiador Fedotov disse que seus escritos deixam a impressão de ele ter sido um homem muito despreendido da vida, não obstante às exigências morais, completamente entregue à contemplação e aos estudos  dos mistérios  e da doutrina. Destacou-se por sua devoção teológica na Rússia antiga. Cirilo é praticamente um representante da tradição grega na Rússia, já que em seus escritos não se observa os traços característicos dos russos de sua época. Não se sabe ao certo se lia  grego e se conhecia os Padres gregos em sua língua original, e é difícil precisar a profundidade de sua cultura patrística. De qualquer forma, era sem duvida nenhuma, um dos mais cultos escritores russos de sua época. Seu ideal ascético transmitido aos monges consistia na espiritualidade e, principalmente, na obediência, frutos da humildade. Dizia que era preciso ser como um pedaço de pano que serve somente para limpar o chão. Tornou-se muito famoso por seus sermões, por mostrar fluida retórica grega. Era criticado por alguns  por ter  em seus sermões conteúdo eminentemente teológico, sem aplicação prática. Nas orações que escreveu, e que são notáveis pelo estilo muito semelhante ao de Santo Efrém, o Sirio e Santo André de Creta, sobressai a necessidade que o homem tem do perdão de Deus; Deus se fez homem para trazer ao homem o perdão divino. A Redenção é o que tem de mais belo dentre  todos os assuntos tratados em seus sermões. Teve um papel importante nos assuntos  eclesiásticos de sua época. Escreveu muitas cartas que não chegaram até nossa época. Morreu no ano de 1182/3.

Tradução e publicação neste site
com permissão de
www.ortodoxia.org
Trad.: Pe. Pavlos Tamanini

II – Nascido em uma família rica de Turov, na região de Minsk, São Cirilo não tinha nenhuma atração pela riqueza ou glória. Passou a sua juventude dedicado aos estudos das Sagradas Escrituras sob a orientação de mestres gregos e russos, ingressando, mais tarde, no Monastério dos Santos Boris e Gleb. Após receber o hábito monástico, ele exauriu o seu corpo em vigílias de oração e no serviço aos irmãos monges, tornando-se um modelo perfeito de observância das regras monásticas. Encorajava-os, através de admoestações fraternas, a perseverarem  na obediência ao superior do monastério, se quizessem alcançar a salvação. Aspirava viver seus dias numa coluna, a exemplo dos santos Estilitas do passado. Seus exemplos e escritos ascéticos ajudaram a espalhar sua boa reputação por todo o país e, mais tarde, foi escolhido por unanimidade para ser o bispo de Turov. Todo o tempo e esforço dedicado às práticas ascéticas lhe foi de bom proveito na edificação espiritual de seu povo. Escreveu muitos sermões sobre as grandes festas do Ano Eclesiástico, além de meditações sobre o Evangelho e as profecias do Antigo Testamento. Em tudo, demonstrava um profundo conhecimento das Escrituras e dos Pais da Igreja, adquirido durante o tempo de sua vida solitária. Durante uma visita que fez ao Monastério de São Nicolau, ele escreveu também uma coletânea de orações num espírito de perfeita compunção, no estilo de Santo Efrém, o Sírio e  Santo André de Creta, que também compôs o «Grande Canon Penitencial» e um ofício paráklise.

Depois de uma vida dedicada ao trabalho de edificação do Corpo  Místico de Cristo, São Cirilo, reverenciado da Rússia como um segundo «Crisóstomo», adormeceu em paz, em 1183, logo após ter deixado sua função como bispo para se recolher à hesyquia.

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager