Jasom e Sosípatro eram discípulos do Apóstolo Paulo que os menciona em sua Epístola aos romanos dizendo: «Saúdam-vos Timóteo, meu cooperador, e Lúcio, Jasom e Sosípatro, meus parentes». (Rom 16,21). Jasom era de Tarso, na Cilicia, e foi nomeado bispo de sua cidade. Sosípatro era de Patros, na Arcadia, e foi nomeado bispo de Icônio. Depois de alguns anos a frente de suas dioceses,  ambos tomaram a decisão de mudar-se para o Oriente, indo para a Ilha de Corfú, pregando o Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo pela primeira vez ao povo daquele lugar. Por suas pregações salvaram muitas almas, mas também por causa delas e em nome de Cristo foram submetidos a muitos sofrimentos. Na antiga cidade de Corfú foram martirizados, e lá foi construída uma igreja em honra e memória destes santos.

São Basílio, Bispo de Ostrog († séc. XVI)

abril-29Basílio nasceu em Popova, uma aldeia da Hercegovina, de pais simples e tementes a Deus. Desde sua juventude nutria profundo amor para com a Igreja de Deus e, atingindo a maturidade, entrou para o Monastério da Dormição (Assunção) da Santíssima Mãe de Deus em Trebinje, e lá recebeu a tonsura monástica. Como monge, sua fama rapidamente se espalhou por causa de sua vida ascética e rara genialidade. São Basílio impunha-se pesadas mortificações, intensificando gradativamente estes exercícios. Mais tarde, contra a sua vontade, foi eleito e consagrado bispo de Zahumlje e Skenderia. Mesmo como hierarca seguiu vivendo no monastério Tvrdosh e de lá, como bom pastor, fortaleceu o seu rebanho na fé ortodoxa, protegendo-os da crueldade dos turcos e das astúcias dos latinos. Quando Tvrdosh foi destruída pelos turcos, pressionado fortemente por seus inimigos ele se mudou para Ostrog, onde viveu uma vida de muita austeridade ascética, protegendo seu rebanho por sua fervorosa e incessante oração. Adormeceu pacificamente no Senhor no século XVI. Seu corpo mantém-se milagrosamente incorrupto até os dias atuais. Os Milagres no túmulo de São Basílio são inúmeros. Cristãos e muçulmanos encontram diante de suas relíquias, o alívio para as suas aflições e a cura das doenças mais graves e. Uma grande romaria de fiéis acorrem anualmente em peregrinação ao local por ocasião da Festa de Pentecostes.

Trad.: Pe. André Sperandio

Tradução e publicação neste site
com permissão de
www.ortodoxia.org

 

Tags:

 

No comments

Be the first one to leave a comment.

Post a Comment


 
 
 

Pesquisar neste site

Web manager